Perguntas Frequentes

Criada com a finalidade de tornar o processo mais ágil, mais amigável e menos formal com o auxílio da tecnologia. Isso porque ela atua como um facilitador no diálogo entre os envolvidos, contribuindo para possíveis acordos e redução das demandas levadas para o judiciário. Por esse motivo, tem ganhado cada vez mais espaço no país.

Em processos que envolvem pessoas jurídicas, que buscam aprimorar a experiência dos seus clientes em relação ao gerenciamento de conflitos, quanto pessoas físicas que procuram resolver problemas em diferentes áreas.

Indicada em quase todos os casos em que a mediação presencial é usada.

Dessa forma, ela pode resolver conflitos societários, consumeristas, trabalhistas, entre parceiros e fornecedores, familiares, vizinhos, entre outros. Também pode atuar em demandas relacionadas com instituições financeiras, condomínios, franquias, seguradoras, telefonia/internet e varejo.

A qualquer momento, até mesmo depois do conflito ser judicializado ou em fase de execução, dependendo do interesse das partes.

Com o avanço da tecnologia, a busca por esse mecanismo se torna cada vez mais comum, gerando a otimização do Poder Judiciário e rapidez nas decisões de resolução de demandas.

É feita por meio de plataforma, onde o mediador devidamente capacitado cria um ambiente acolhedor em vídeo conferência.

Dessa forma, as partes podem dialogar sozinhas ou com a ajuda de seus advogados e, assim, chegar a um acordo que atenda os interesses de todos.

As reuniões com o mediador podem ser individuais ou conjuntas, já que o profissional vai atuar de maneira imparcial, isonômica e respeitosa, com foco no encontro de alternativas que possam propiciar o encerramento do conflito da melhor forma.

Para que a mediação ocorra, é estruturado um fluxo antes, durante e após a sessão de mediação, com as seguintes fases:

1. envio da demanda: uma base de casos, ajuizados ou não, são enviados para a plataforma;

2. adesão: um pedido para a mediação é enviado. Se tiver o aceite, uma sessão é agendada;

3. sessão: o mediador realiza a mediação online com as pessoas envolvidas;

4. acordo: as partes assinam de forma digital o acordo de mediação, que terá validade jurídica.

É possível ter quantas sessões forem necessárias, considerando a complexidade do caso e disponibilidade das partes.

As vantagens do uso da mediação online são diversas. Veja algumas delas:

1. possibilidade de permanecer no local que já está acostumado, como trabalho, casa, entre outros;

2. economia de despesas com deslocamento e hospedagem;

3. utilização de vários meios eletrônicos, por exemplo, áudio, chat, vídeo;

4. flexibilidade para se comunicar de forma simples e acessível;

5. aceleração do processo de tomada de decisão;

6. otimização do tempo;

7. minimização da judicialização de novos casos;

8. solução exercida de forma voluntária;

9. participação ativa das partes envolvidas;

10. possibilidade de ser realizada em qualquer lugar com acesso à internet e a qualquer hora oportuna.

PALAVRA DO BOM MEDIAR

O que é Mediação?

Forma de encaminhar um conflito e requer um terceiro para colaborar na resolução do mesmo.

NOTÍCIAS

Cadastre-se e receba nossas notícias.